CONHEÇA RONDÔNIA – MUNICÍPIO DE PORTO VELHO.

07/07/2013 / [20h:16m] - O MUNICÍPIO DE PORTO VELHO é um município brasileiro e capital do Estado de Rondônia. Situada na margem direita do Rio Madeira, na Região Norte do Brasil. Foi fundada pela empresa americana Madeira Mamoré Railway Company em 4 de julho de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, comandada pelo magnata norte-americano Percival Farquhar. Em 2 de outubro de 1914 foi legalmente criada como um município do Amazonas, transformando-se em capital do estado de Rondônia em 1943, quando criou-se o Território Federal do Guaporé. Com uma população de 442 701 habitantes, é a cidade mais populosa do estado, a 4ª mais populosa da Região Norte e a 46ª mais populosa do Brasil. Se destaca também por ser a capital brasileira com maior área territorial, extendendo-se por pouco mais de 34 mil km², sendo também o mais populoso município fronteiriço do Brasil (e a única capital inserida nesse contexto), além de ser, ao lado de Teresina, a única capital estadual que faz fronteira com municípios de outro estado.

O MUNICÍPIO DE PORTO VELHO é um município brasileiro e capital do Estado de Rondônia. Situada na margem direita do Rio Madeira, na Região Norte do Brasil. Foi fundada pela empresa americana Madeira Mamoré Railway Company em 4 de julho de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, comandada pelo magnata norte-americano Percival Farquhar. Em 2 de outubro de 1914 foi legalmente criada como um município do Amazonas, transformando-se em capital do estado de Rondônia em 1943, quando criou-se o Território Federal do Guaporé. Com uma população de 442 701 habitantes, é a cidade mais populosa do estado, a 4ª mais populosa da Região Norte e a 46ª mais populosa do Brasil. Se destaca também por ser a capital brasileira com maior área territorial, extendendo-se por pouco mais de 34 mil km², sendo também o mais populoso município fronteiriço do Brasil (e a única capital inserida nesse contexto), além de ser, ao lado de Teresina, a única capital estadual que faz fronteira com municípios de outro estado.

Em termos econômicos, a cidade detém o terceiro maior PIB da Região Norte, além de ser atualmente a capital estadual que mais cresce economicamente no país. (30,2% em 2009).10 Em 2010, o PIB de Porto Velho foi estimado em R$7,5 bilhões, segundo o IBGE, respondendo por cerca de 1/3 do PIB de Rondônia naquele ano

 História

  

 Palácio Getúlio Vargas, sede do Governo de Rondônia

 

A Assembléia Legislativa foi criada em 1983, pouco depois da emancipação estadual.

 Oficializada em 2 de outubro de 1914, Porto Velho foi criada por desbravadores por volta de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Em plena Floresta Amazônica, e inserida na maior bacia hidrográfica do mundo, onde os rios ainda governam a vida dos homens, é a Capital do estado de Rondônia. Fica nas barrancas da margem direita do rio Madeira, o maior afluente da margem direita do rio Amazonas.

 Desde meados do século XIX, nos primeiros movimentos para construir uma ferrovia que possibilitasse superar o trecho encachoeirado do rio Madeira (cerca de 380km) e dar vazão à borracha produzida na Bolívia e na região de Guajará-Mirim, a localidade escolhida para construção do porto onde o caucho seria transbordado para os navios seguindo então para a Europa e os EUA, foi Santo Antônio do Madeira, província de Mato Grosso.

As dificuldades de construção e operação de um porto fluvial, em frente aos rochedos da cachoeira de Santo Antônio, fizeram com que construtores e armadores utilizassem o pequeno porto amazônico localizado 7km abaixo, em local muito mais favorável.

 Em 15 de janeiro de 1873, o Imperador Dom Pedro II assinou o Decreto-Lei nº 5.024, autorizando navios mercantes de todas as nações subirem o Rio Madeira. Em decorrência, foram construídas modernas facilidades de atracação em Santo Antônio, que passou a ser denominado Porto Novo.

 O porto velho dos militares continuou a ser usado por sua maior segurança, apesar das dificuldades operacionais e da distância até Santo Antônio, ponto inicial da EFMM.

 Percival Farquhar, proprietário da empresa que afinal conseguiu concluir a ferrovia em 1912, desde 1907 usava o velho porto para descarregar materiais para a obra e, quando decidiu que o ponto inicial da ferrovia seria aquele (já na província do Amazonas), tornou-se o verdadeiro fundador da cidade que, quando foi afinal oficializada pela Assembléia do Amazonas, recebeu o nome Porto Velho. Hoje, a capital de Rondônia.

 A cidade nasceu e cresceu das instalações ferroviárias da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, através da exploração de borracha e posteriormente de cassiterita e de ouro. Moravam cerca de mil pessoas quando a obra da construção da Estrada de Ferro se concluiu, geralmente seus residentes eram funcionários da empresa construtora. Tornou-se município em 1914, quando ainda pertencia ao Estado do Mato Grosso. Em 1943, com o município de Guajará-Mirim passou a constituir o Território Federal do Guaporé, que em 1956 passou a ser denominado Rondônia, e veio a ser elevado à categoria de Estado em 4 de janeiro de 1982.

Emancipações

Tornou-se município em 1914, quando ainda pertencia ao Estado do Amazonas. Em 1943, passou à condição de capital e, juntamente com o município de Guajará-Mirim, passou a constituir o Território Federal do Guaporé, que em 1956 passou a ser denominado Rondônia, vindo a ser elevado à categoria de estado (subdivisão) em 4 de janeiro de 1982. 11

Crescimento demográfico

A cidade nasceu e cresceu a partir das instalações ferroviárias da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Graças aos tantos ciclos econômicos que se seguiram (exploração de borracha e posteriormente de cassiterita e de ouro), o município foi se consolidando e acolhendo os migrantes que hoje formam a sua população.12

Moravam cerca de mil pessoas quando a obra da construção da Estrada de Ferro foi concluída, grande parte funcionários da empresa construtora.

 Geografia

 

Rio Madeira e parte da cidade.

 A capital rondoniense se localiza na parte oeste da Região Norte do Brasil, na área abrangida pela Amazônia Ocidental no Planalto Sul-Amazônico, uma das parcelas do Planalto Central Brasileiro.

 Relevo

O relevo do município é pouco acidentado, não apresentando grandes elevações ou depressões, com variações de altitudes que vão de 70 metros a pouco mais de 600 metros. A região situa-se no vale do rio Madeira, entre a planície amazônica e o planalto central brasileiro.

 Clima

O clima predominante é o tropical superúmido, caracterizado por ser muito quente mas mesmo assim provido de bastante umidade. Situa-se em transição com o clima semi-úmido da região centro-oeste e o clima equatorial predominante na região norte do Brasil.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a temperatura mínima registrada em Porto Velho foi de 7,4ºC, observada dia 19 de julho de 1975.13 Já a máxima foi de 39,9ºC, no dia 27 de agosto de 1963.14 O maior acumulado de chuva registrado em menos de 24 horas foi de 148,1 mm, em 5 de janeiro de 1990.15

Fenômeno da Friagem : Friagem é a queda brusca de temperatura, com ventos razoavelmente frios. Pode ocorrer mais de uma vez na Amazônia ocidental (Rondônia , Acre e sul do Amazonas) , de maio a agosto.

 Hidrografia

Porto Velho está localizada na Bacia do Rio Amazonas. O Rio Madeira é o principal rio que banha o município, vindo do sul da Bolívia.

 Os principais rios são:

Rio Madeira (principal braço direito do Rio Amazonas): banha Porto Velho, possui grande quantidade de ouro em seu leito e até pouco tempo, na época da vazante, abrigava 30 000 garimpeiros. Seu curso é dividido em dois níveis: Alto Madeira, trecho das cachoeiras e corredeiras, e o Baixo Madeira. Dois lagos se destacam pela sua importância biológica: Lago do Cuniã, com 104 000 hectares, na reserva biológica de Cuniã, e Lago Belmont, no rio Madeira. O rio tem pesca abundante, destacando-se os seguintes peixes: piraíba, jaú, dourado, caparari, surubim, pirara, piramutaba, tambaqui, tucunaré, jatuarana, pacu, pirapitinga, curimatá, a piranha preta e o terrível candiru.16

Rio Abunã (afluente da margem direita do rio Madeira): faz a delimitação da fronteira entre Brasil e Bolívia, banha o distrito de Fortaleza do Abunã e nasce no Acre.

Rio Mutum-Paraná.

Rio Jacy-Paraná.

Rio Candeias do Jamari.

Rio Ji-Paraná ("Rio Machado").

 Política municipal

O atual prefeito de Porto Velho é Mauro Nazif Rasul (2013/2016), do PSB, e o atual vice-prefeito é Dalton Di Franco, do PDT.

Por ser uma capital de estado relativamente nova (1981), a cidade possui muitos funcionários públicos, tanto federais quanto estaduais. Como há pouca qualificação, grande parte da mão-de-obra especializada vem de outros estados.

 Câmara de vereadores

A Câmara Municipal de Porto Velho fica no bairro Meu Pedacinho de Chão, distante do Centro da cidade. O atual presidente é o vereador Allan Queiroz, do PSDB, para o período de 1º de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016.

 Relações exteriores e intermunicipais

 Cidades-irmãs

A política das cidades-irmãs procura incentivar o intercâmbio entre cidades que têm algo em comum com Porto Velho. A troca de informações e o aumento do comércio entre elas são meios de tornar as cidades-irmãs mais próximas. Porto Velho possui apenas uma cidade-irmã, que é: Candeias, (2011)17

 Subdivisões

Lista de bairros e distritos de Porto Velho

Bairros

4 de Janeiro

Aeroclube

Agenor de Carvalho

Alphaville

Aponiã

Areal

Areia Branca

Arigolândia

Bairro Industrial

Bairro Militar

Baixa União

Belvederes

Bosque

Caiari

Caladinho

Cascalheira

Castanheira

Centro

Cidade do Lobo

Cidade Jardim

Cidade Nova

Cohab

Conceição

Costa e Silva

Cuniã

Jardim das Mangueiras 1 e 2

Eletronorte

Esperança da Comunidade

Embratel

Escola de Polícia

Flodoaldo Pontes Pinto

Floresta

Ipanema

Jardim America

Jardim Eldorado

Jardim Primavera

Jardim Santana

Juscelino Kubitschek (JK)

Km-1

Lagoa

Lagoinha

Liberdade

Marcos Freire

Marechal Rondon

Mariana

Mato Grosso

Meu Pedacinho do Chão

Mucambo

Nacional

Nossa Senhora das Graças

Nova Esperança

Nova Floresta

Novo Horizonte

Nova Porto Velho

Olaria

Panair

Pedrinhas

Planalto

Rio Madeira

Ronaldo Aragão

Roque

São Cristóvão

São Francisco

São João Bosco

São Sebastião

Socialista

Tancredo Neves

Teixeirão

Tiradentes

Três Marias

Triângulo

Tucumanzal

Ulisses Guimarães

União da Vitória

Vila Tupy

Distritos

Abunã

Belmont

Boa-Hora

Calama

Conceição da Galera

Demarcação

Extrema

Fortaleza do Abunã

Foz do Jamari

Jacy-Paraná

Marmelo

Mutum-Paraná

Nazaré

Nova Califórnia

São Carlos

Teotônio

Vista Alegre do Abunã

 Vila

Da Preguiça.

Reservas indígenas

Reserva Karitiana

Reserva Kaxaraxi

Reserva Karipuna

 A Reserva Karitiana, com 89.098 hectares, fica a 95 quilômetros da capital. É habitada por cerca de 100 índios, que se dedicam à agricultura de subsistência (arroz, milho, farinha, etc.). Lá já foram construídas casas em alvenaria, depósitos, uma enfermaria e uma pista de pouso.

 A Reserva Kaxaraxi, com mais de 85 mil hectares, fica na divisa com o estado do Amazonas. Seus mais de 100 índios vivem do extrativismo da castanha e da banana.

 A terceira reserva indígena é a dos Karipunas, com 2.200 hectares, situada no Distrito de Jaci-Paraná.

 Economia

Reflexo do crescimento populacional

O PIB de Porto Velho é de R$ 7.522.929,00 e o PIB Per capita R$ 17.636,36. 19

 

O PIB de Porto Velho é de R$ 7.522.929,00 e o PIB Per capita R$ 17.636,36. 19

 

Composição econômica de Porto Velho
Serviços
   
83,8%
Agropecuária
   
5,3%
Indústria
   
10,9%

Fonte: IBGE

 Evolução demográfica de Porto Velho

Porto Velho recebeu 5 mil novas empresas em apenas um ano, além de 30 mil novos empregos. Segundo a Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), o Estado possui hoje a maior taxa de ocupação da população economicamente ativa da região Norte (94,6%) e a segunda menor taxa de desemprego do Brasil. A renda média do trabalhador porto-velhense é também a mais alta da região: R$ 880,00, acima da média nacional.

 Turismo

 

 As Três Caixas D'Água, um dos mais importantes pontos turísticos de Porto Velho.

 Locomotiva da lendária Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. 

Porto Velho tem pequeno potencial turístico, devido ao seu patrimônio histórico e humano. É a 8ª cidade da Região Norte, 5º destino de empresários vindos da Bolívia a negócios e eventos.

As atrações históricas são a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré,cenário da série de televisão 20 , produzida pela Rede Globo; a Catedral do Sagrado Coração de Jesus; o Cemitério da Candelária; a sede da Arquidiocese; o terminal ferroviário; a locomotiva Coronel Church (a primeira máquina vinda para a Amazônia, em 1872), as Caixas D'Água (símbolos da cidade, edificadas pelos ingleses); a igreja de Santo Antônio do rio Madeira e sua belíssima cachoeira, marco inicial de Porto Velho.21

As Três Caixas D'Água: vindas em módulos metálicos dos Estados Unidos.

Estrada de Ferro Madeira-Mamoré: apesar de ter sido um centro ferroviário, a cidade não conta mais com o passeio de trem, que foi desativado por falta de conservação da linha, que acabou ruindo por conta de um temporal.

 Parque Natural Municipal de Porto Velho

 Parque Urbano de Porto Velho

 Passeio de Barco no Rio Madeira

 Palácio Getúlio Vargas

 Mercado Cultural

 Museu Geológico

 Museu Internacional do Presépio

 Museu Ferroviário

 Casa de Cultura Ivan Marrocos

 Centros de Compras e Lazer

O Porto Velho Shopping é o mais completo centro de compras, serviços e lazer da cidade. 

Abriga lojas de grandes marcas regionais e nacionais, muitas delas encontradas em Rondônia apenas no Porto Velho Shopping. Moda, tendências, diversão, ampla praça de alimentação com 672 lugares e 14 lojas de fast food, com 143 lojas satélite, 7 Mega lojas, 4 lojas âncoras, 5 salas de cinema multiplex, Planet Park, Faculdade. Localizado na Av. Rio Madeira, esquina com Av. Calama.22

Estrutura urbana

 

Vista Panorâmica de Porto Velho a partir do bairro Pedrinhas, em maio de 2010.

 Educação

A sede da UNIR fica no prédio do antigo Porto Velho Hotel. Seu campus está situado na BR-364, sentido Rio Branco (Acre).

Ensino Básico

 Existem poucas escolas particulares e estas se encontram praticamente sem vagas, devido ao grande afluxo populacional que a construção das usinas hidrelétricas já começou a atrair.

 Ensino superior

 Porto Velho conta com uma universidade pública — UNIR — e as seguintes faculdades particulares: Faculdade São Lucas, FARO, FATEC, FIMCA, FIP, Universidade Católica de Rondônia, UNIRON, ULBRA e IMAm - Instituto Metodista da Amazônia. Os cursos ministrados virtualmente contam com alguns pontos de presença de faculdades e universidades de outras cidades do país.

 Os três cursos de Medicina, de Direito, de Engenharia e outros bem cotados têm atraído muitos estudantes do interior e de estados vizinhos, tornando esta capital uma cidade universitária.

 Segurança pública

 Forças Armadas

A cidade conta com os quartéis do 5º BEC, 17ª Brigada de Infantaria de Selva, 31ª Circunscrição do Serviço Militar, 17º Base Logística, 3º Cia do 54º BIS e o Hospital de Guarnição. Além disso, dispõe de base aérea, que foi modernizada para acolher o Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM).

 De acordo com a revista Época, Porto Velho é a 3ª capital mais violentas do país. No ranking nacional, ocupa a 19ª posição em relação aos municípios brasileiros mais violentos.24

 Transportes

O principal meio de transporte para se chegar a Porto Velho é o rodoviário. Para o estado do Amazonas, devido ao estado precário da BR-319, o melhor meio de transporte é o aéreo. A cidade conta com um aeroporto internacional.

Aeroporto

Terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira.

 

 

O Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira é o mais importante do estado e recebe voos diários de Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus e Rio Branco, dos municípios do interior do estado de Rondônia como Ji-Paraná e Vilhena e do interior do Amazonas como Humaitá, Lábrea e Manicoré. Também conta com voo para Porto Alegre, com escalas em Campinas, Rio de Janeiro, Cuiabá, Campo Grande e Curitiba; para São Paulo, com escala em Brasília e Cuiabá; e para Fortaleza, com escala em Manaus e Belém,além de outros destinos com menor fluxo de passageiros. A TRIP pretende operar voo ligando Porto Velho a Lima.

 O aeroporto tem capacidade de receber 920 mil passageiros por ano e opera com as principais companhias aéreas nacionais e regionais, tais como TAM, Gol, Azul, TRIP e Avianca.

Rodovias

Trecho duplicado da BR-364, próximo a Porto Velho.

Porto Velho é cortada por duas rodovias federais, a citada BR-319 e a principal delas, a BR-364, única rodovia federal a cortar o Estado no sentido norte-sul, passando pelas principais cidades rondonienses.

 

A Rodoviária fica na Avenida Governador Jorge Teixeira (hoje considerada uma rodovia, a BR-319, sob administração dos órgãos públicos federais).

 Porto

 

 Área portuária de Porto Velho.

 O Porto Graneleiro - Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (SOPH) - faz parte do corredor de exportação de grãos, principalmente a soja, que vem do sul do Estado e do Mato Grosso (Sapezal e cidades vizinhas). A soja in natura embarcada em Porto Velho segue a Itacoatiara, de balsa, e de lá em navios para a América do Norte, Europa e Ásia. Além de grãos e outras mercadorias, como a madeira, o porto também escoa os produtos a da cadeia de carne e laticínios.

 

 Porto do Cai n'Água.

No Porto do Cai n'Água, há embarcações que fazem o trajeto até Humaitá, Manicoré e Manaus, municípios do Amazonas, como também das localidades do Baixo Madeira, como São Carlos, Calama e outras pequenas localidades.

 Ferrovia

Nos finais de semana eram realizadas viagens de trem à antiga Primeira Estação, na Cachoeira de Santo Antônio. Atualmente, a linha está desativada.

 Cultura e sociedade

 

 Casa da Cultura Ivan Marrocos onde são realizadas exposições de artistas locais.

Porto Velho é a síntese da diversidade cultural do Estado de Rondônia e demonstra seu pluralismo através de seu calendário de festas, onde se destacam os festejos de Carnaval com a tradicional Banda do Vai Quem Quer, fundado no ano de 1981 por Manoel Mendoça, o Manelão, e que reúne mais de 100 mil pessoas nas ruas da capital de Rondônia durante os festejos de Carnaval. 25

Evidenciando a força da cultura nordestina na capital, o Arraial Flor do Maracujá, realizado a mais de 30 anos na cidade de Porto Velho durante as festas juninas é o segundo maior arraial do Brasil, onde reúnem artistas de fora e local, mesclando desta forma as regiões. 26

Há ainda a realização da Expovel, (Exposição Agropecuária de Porto Velho) e o Festival da Costela Assada, realizado pelas Lojas Maçônicas de Rondônia todos os anos. 27 28

Na literatura, é relevante a obra do poeta Augusto Branco, cujos livros são publicados no Brasil e na Europa, e cujos textos têm grande popularidade na internet em nível mundial; Já no teatro destacam-se obras como a peça Bizarrus, dirigida por Marcelo Felice, e encenada por presidiários e ex-presidiários do Estado, que constroem o enredo da peça a partir de suas próprias experiências pessoais, num trabalho que é referência nacional em reabilitação social, 29 e a encenação anual de ‘O Homem de Nazaré’, pelo grupo teatral Êxodo, durante o feriado de Corpus Cristhi, na Jerusalém da Amazônia – o maior teatro a céu aberto da região norte do Brasil. 30

 Abaixo, segue a relação dos principais atrativos culturais de Porto Velho:

 Casa da Cultura Ivan Marrocos em Porto Velho. Centros culturais: Casa de Cultura Ivan Marrocos, para exposições diversas.

 Teatro: Teatro Municipal Banzeiros, Teatro do SESC e Teatro do SEST-SENAT.

 Salas de Cinema: oito salas de cinema, sendo o Cine Rio, Cine Veneza e Cine Araújo (5 salas Multiplex no Porto Velho Shopping).

 Museus: Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

 Shoppings: Porto Velho Shopping, com 150 lojas, 3 andares e cinco salas de cinema e Porto Madeira Shopping (EM CONSTRUÇÃO), com 180 lojas, 2 andares e 6 salas de cinema.

 Leitura: Biblioteca municipal, bibliotecas em várias instituições de ensino, tanto superior quanto médio, livrarias como Exclusiva, Nobel e Dimensão e sebos como Carlos Gomes e Revistaria Central.

 Calendário de eventos anuais: Expovel é a festa agropecuária de Porto Velho, que se inicia com uma grande cavalgada; a peça "O homem de Nazaré", encenada na cidade cenográfica Jerusalém da Amazônia; o festival de música independente chamado Festival Casarão; Micaretas (carnavais fora de época), sendo a principal o Bloco Maria Fumaça; o Arraial Flor do Maracujá, o maior da cidade e a Zombie Walk (Caminhada Zumbi).

 Culturas populares e folclóricas são oriundas de todas as partes do Brasil e de outros países, trazidas com os imigrantes.

 Nas manifestações musicais existem os blocos de carnaval, grupos de rock, MPB, forró, pagode, sertanejo e bailões, axé, músicas gaúchas (CTG), quadrilhas, reggae, Bumba-meu-boi/Boi Bumbá, dentre vários outros grupos diversos.

 Diversos bares e casas de shows complementam as opções culturais dos porto-velhenses e seus visitantes.

Veja ainda:

A Cultura Popular de Porto Velho é marcada pela forte influência nordestina, com o Boi-bumbá, as quadrilhas juninas e a Pastorinha. A interpretação de lendas indígenas, como as da Iara, do Boto e do Mapinguari, indicam o folclore local, influenciado pelos migrantes. Quanto ao artesanato, existem várias exposições de trabalhos indígenas, utilitários e de adorno, utilizando-se como matéria prima argila, cipó, bambu, borracha. A Casa do Artesão funciona como ponto de apoio às iniciativas do gênero.

 Bibliotecas

 O Palácio Tancredo Neves, sede da Prefeitura Municipal, e a Biblioteca Municipal Francisco Meirelles no Centro da capital rondoniense.

O acervo municipal de Porto Velho ficou à espera de sua sede definitiva por diversos anos até que recentemente foi terminada as obras da Biblioteca Municipal ao lado da Prefeitura. O espaço conta com dois andares com ar-refrigerado no Centro da cidade.

 Carnaval

O   Carnaval acontece todos os anos, atraindo um grande número de pessoas de outros municípios de Rondônia e de estados vizinhos. Durante o período carnavalesco, ocorrem os desfiles dos blocos carnavalescos e de escolas de samba, as quais pode-se citar, entre as mais conhecidas, Os Diplomatas, Asfaltão, entre outras.

 No mês de julho acontece o Carnaval Fora de Época, com características do carnaval da Bahia, com trios elétricos e grupos de Axé.

Teatros

Dois teatros animam o Setor cultural: O Teatro Municipal, na Avenida Joaquim Nabuco (Centro) e o Teatro Uirassu Rodrigues, na rua José Bonifácio.

 Museus

 No complexo ferroviário, está localizado o Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, no centro da cidade está situado o Museu Estadual, com farto material sobre arqueologia, minerologia e etnologia.  Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. O Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré fica em um dos armazéns da antiga estrada de ferro.

No Museu, instalado em um armazém de carga e descarga quase centenário, pode-se ver centenas de materiais preservados da ferrovia. O Museu reúne várias peças da época de sua construção e funcionamento. Além da primeira locomotiva trazida para a Amazônia, a Coronel Churchill, pode-se apreciar também uma Cegonha e um Velocípede, usados no transporte de feitores que fiscalizavam a linha, tornos, máquinas, móveis, fotografias de operários, livros, documentos e muito mais. O museu fica na Avenida 7 de setembro - Praça da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Fora do Museu, à beira-rio, pode-se fazer um passeio em um dos "batelões" à Cachoeira de Teotônio.

O Museu reúne os pertences e objetos da Ferrovia do Diabo que foi construída no início do século XX. Constitui-se numa das principais atrações históricas de Rondônia, possuindo várias instalações que podem ser visitadas.

 A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré foi uma das construções mais difíceis da engenharia mundial, ao lado da construção do Canal do Panamá - marcada pelo alto custo em vidas humanas.

 É um verdadeiro marco do ciclo da borracha, onde a extração do látex da seringueira constituía-se em importante produto estratégico da Amazônia - embora seu fato causador tenha sido o acordo Brasil-Bolívia, para a solução da Questão do Acre, que contou com a participação diplomática do Barão do Rio Branco.

 Prédio das oficinas: entre as construções do complexo ferroviário a de maior tamanho e complexidade, sem dúvida é o prédio das oficinas. Foi construída entre 1908 e 1912 e abrigava a parte de mecânica, fundição, carpintaria, pintura, serraria, funilaria e depósito, e tinha como função os reparos do material rodante da ferrovia atendendo, também a comunidade com reparos de motores e fundição de peças. Uma das peças que chama a atenção, na entrada da oficina, é o girador ou rotunda que servia para direcionar as máquinas e carros para o local de conserto, dentro da oficina. Funcionou até 1972, sendo depois soterrado. Atualmente encontra-se à disposição da visitação pública totalmente recuperado.

 Armazéns de carga e descarga: existem dois armazéns de carga e descarga, erguidos à margem do rio Madeira, medindo 50m x 20m cada um, cobertos e fechados lateralmente por chapas de zinco galvanizado e piso de concreto. O primeiro, de nº 1, foi construído em 1912, e o segundo, de nº 2, em 1943, para dar respaldo a intensificação da produção de borracha durante a 2ª Guerra Mundial. Foram projetados e pré-fabricados nos Estados Unidos e usados com depósitos para armazenar as mercadorias que abasteciam os seringais e para abrigar a produção extrativista que eram embarcadas para fora da região. Hoje o Armazém nº 1 é utilizado para acomodar o acervo do Museu Ferroviário.

 Estação de Porto Velho: a estação nº 1, em Porto Velho, foi construída junto com a ferrovia e foi inaugurada, também, em 1912 e destinava-se à venda de passagens, de embarque e desembarque de passageiros, para despacho de documentos e comunicação. Foi construída em alvenaria de tijolos aparentes e sem furos, com janelas de madeira e vidros, coberta com telhas de barro, do tipo francesa, avarandada em todos os lados e onde foram utilizados trilhos na sustentação. Após a reativação foi utilizada como Museu Ferroviário e, posteriormente o acervo foi transferido depois para o Armazém nº 1.

 Monumentos

As Três Caixas d'Água, marco histórico.

Também conhecidas como As Três Marias, as caixas d'água ficam no centro da cidade, na praça de mesmo nome. A primeira foi erguida em 1910 e as outras duas em 1912. Foram projetadas e construídas pela Chicago Bridge & Iron Works, de Chicago conforme informações contidas em placa de ferro fundido, cravadas nas pilastras de cada uma delas. São três tanques de forma cilíndrica, cobertos com chapas de metal de forma cônica, e a base em formato côncavo. Cada tanque está elevado do chão por quatro colunas de ferro feitas em treliça sobre fundação de concreto. Estão circundados à altura do bojo, por uma passarela com parapeito metálico de treliça por onde se chega através de uma escada. Cada reservatório possui capacidade para 200.000 litros e serviram para abastecer a cidade de Porto Velho até o ano de 1957, funcionando por ação da gravidade.

 A Catedral do Sagrado Coração de Jesus

Construída em local selecionado em 1917 pelo próprio arcebispo Joffily, sua localização corresponde hoje ao extremo leste do bairro Caiarí, em frente ao Paço Municipal de Porto Velho. A primeira missa realizada na Capela Provisória do Sagrado Coração de Jesus, foi celebrada pelo padre Antônio Carlos Peixoto, na manhã de 10 de novembro de 1926, tendo como ajudante o Prefeito Municipal, Prudêncio Bogéa de Sá. Em agosto de 1927, o padre Peixoto, então secretário geral da Prelazia de Porto Velho, delegou poderes a uma comissão formada pelos senhores Prudêncio Bogéa de Sá, como presidente, Francisco Alves Erse, engenheiro da EFMM, e José Centeno, comerciante, para administrar as obras de construção do novo templo. Já em 26 de setembro de 1927 foi iniciada a abertura das covas dos alicerces da nova catedral. Os trabalhos seguiram com dificuldades, embora contando com o auxílio direto da população e de autoridades laicas. Logo passaram a contar com o apoio incansável do padre João Nicoletti, cujo nome foi atribuído à praça do Paço Municipal, em frente à Catedral, e tem seu túmulo no interior do templo. As telhas para a cobertura chegaram em Porto Velho a 8 de janeiro de 1929, a bordo do navio Madeira-Mamoré. Foram transportadas desde o porto até o local da obra pelos marinheiros e pelos habitantes da cidade. As pinturas originais de cunho religioso no interior da Catedral, foram executadas pelo padre Ângelo Cerri e por Afonso Ligório. Os vitrais que a circundam, com temas da Via Sacra, foram todos doados pela comunidade portovelhense. Modernamente, a artista Rita Queiroz fez algumas restaurações e incluiu uma obra sua. Nesse período inicial, foi construída apenas a parte que hoje corresponde à nave central e o campanário. Somente a partir de 1945 foram realizadas as obras de expansão, surgindo o novo altar e suas laterais.

 "Terror na Catedral"

 Em 4 de dezembro de 2005, junto com outras 55 cidades do Brasil, celebrou-se o acendimento das luzes do Natal da Catedral, na Campanha "Natal de Luz". O evento, patrocinado pela Eletrobrás, por meio da CERON, teve apoio logístico da Prefeitura de Porto Velho1 .

 Às 19h45min o espetáculo pirotécnico transcorria com normalidade, mas um dos foguetes pirotécnicos não explodiu no ar, caindo em meio a centenas de pessoas. No local, havia cerca de dez mil pessoas. Houve pânico e, pelo menos, vinte pessoas foram atendidas às pressas, dez com queimaduras2 . Outras dezesseis deram entrada no Pronto Socorro João Paulo II, três em estado grave (porém sem risco de morte)3 . No total, 40 pessoas foram feridas, das quais não se registrou nenhum óbito. Muitas vieram a padecer de sequelas físicos e/ou emocionais.

 Divulgou-se a notícia em rede nacional.

 Laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Civil do Estado constatou problema na fabricação do produto: ao atingir a altura ideal para explosão, um rojão teria falhado, vindo a cair sobre o público que assistia e participava do espetáculo4 .

 Contudo, as investigações sobre a responsabilidade do caso ainda não se encerraram.

 O episódio ficou conhecido como Terror na Catedral.

 Apurações (até nov/2006)

 Transcorrido cerca de um ano, as investigações pertinentes ainda não são foram apresentadas como definitivas.

 Entretanto, o Instituto de Criminalística da Secretaria de Estado de Segurança do Estado de Rondônia já apurou que "houve utilização de foguetes pirotécnicos com data de validade vencida". Isso significa, conforme constatado, presença de umidade além do admitido para produtos dessa natureza, o que teria levado ao retardo na explosão — explosão de efeitos decorativos e estéticos, que deveria ter ocorrido na altura de projeto, evidentemente muito acima (e seguramente) do público que participava do evento.

 Das quarenta pessoas atingidas pelo sinistro, treze buscaram auxílio junto à CERON, no que foram prontamente atendidas. Seis concluíram o atendimento e a assistência médica. Sete ainda continuam a receber assistência plena da parte da empresa, com custeio de todas as necessidades médico-hospitalares pertinentes. Uma destas sete veio a ficar incapacitada em uma das pernas, em virtude do impacto da explosão e da queimadura produzidos pelo rojão.

 A Centrais Elétricas de Rondônia S.A. – CERON, empresa do sistema Eletrobrás, conquanto tenha sido obrigada a arcar com as despesas médico-hospitalares das vítimas, foi, na realidade, apenas a realizadora do evento Natal de Luz, simultaneamente acontecido, sob a direção da Eletrobrás em todas as demais capitais das Unidades da Federação.

Competiu-lhe tão-somente o estudo, o projeto e a instalação da iluminação decorativa alusiva ao Natal, com a mensagem Natal de Luz. A pirotecnia usualmente associada a eventos dessa natureza, embora contratada pela CERON, não lhe pode ser imputada em termos de responsabilidade. Tal responsabilidade é devida ou à empresa contratada para a realização do show pirotécnico ou à empresa fabricante dos foguetes pirotécnicos utilizados.

 Segundo o delegado de policia da 1ª Delegacia da Policia Civil de Rondônia, o inquérito ainda não foi concluído por motivos burocráticos. Carta precatória foi enviada no inicio de 2006 à delegacia onde se localiza a "Fábrica de Fogos Nuclear", para o inquirir e colher informações técnicas sobre o material usado nas bombas. "Constantemente estamos requerendo resposta através da Polinter, responsável pela comunicação entre delegacias, e pedindo renovação de baixa junto ao Ministério Público, para aumentar o tempo de entrega do inquérito", explica o delegado. Esclarece que, desde a instauração do processo, ficou clara a sua complexidade, presumindo-se demora na conclusão.

 Segundo o Código Penal Brasileiro, após analisada a intenção, o acusado pode ser enquadrado no crime de lesão corporal culposa, considerado de menor potencial ofensivo com pena de dois meses a um ano, com agravante de material explosivo que pode aumentar a pena em até dois anos. A depender da interpretação do juiz, pelos dois crimes, o tempo máximo de prisão que pode haver é de três anos.

  [1º.12.2005] Catedral de Porto Velho recebe iluminação natalina

 http://www.rondoniagora.com/web/ra/noticias.asp?data=1/12/2005&cod=167

 [4.12.2005] Urgente! Terror na Catedral: bomba de show pirotécnico explodiu em meio a centenas de pessoas

 http://www.rondoniagora.com/web/ra/noticias.asp?data=4/12/2005&cod=204

 [4.12.2005] Terror na Catedral - Confira imagens exclusivas

 http://www.rondoniagoratv.com.br/documentos/rondoniagora/terrorarghjalkoqndaihdihlaoiileqgh.htm

 [5.12.2005] Terror na Catedral: João Paulo II atendeu 16 vítimas, três em estado grave

 http://www.rondoniagora.com/web/ra/noticias.asp?data=5/12/2005&cod=218

 [16.01.2006] Para vítimas da Catedral, pesadelo ainda continua

 http://www.rondoniagora.com/web/ra/noticias.asp?data=16/1/2006&cod=832

 [29.11.2006] Terror na Catedral: 1 ano depois da tragédia ninguém foi punido

 http://www.rondoniagora.com/web/ra/noticias.asp?data=29/11/2006&cod=8518 

  

Mídia de Porto Velhoferências
A cidade de Porto Velho conta com todas as grandes redes de TV nacionais (comerciais e religiosas)
 
Estações de TV
TV Madeira-Mamoré (TVE Brasil e TV Cultura), Canal 2 - temporariamente fora do ar
TV Rondônia/Rede Amazônica (Rede Globo), Canal 4
Rede Brasil Norte (Rede 21 e IMPD), Canal 6
TV Meridional (Band), Canal 9
TV Candelária (Record/Record News), Canal 11
TV Allamanda (SBT), Canal 13
RedeTV! Rondônia/SGC - Sitema Gurgacz de Comunicação, Canal 17
Rede Vida, Canal 19
Amazon Sat/Rede Amazônica, Canal 22
TV Esporte Interativo, Canal 25
TV Nazaré, Canal 33
RBTV, Canal 38
RIT, Canal 47,
Rede Boas Novas, Canal 49
TV Senado, Canal 51
Rede Gênesis, Canal 54
Record News, Canal 58

Rádios
AM 660 kHz - Boas Novas (A Voz da Libertação)
840 kHz - Nacional (Radiobrás)
1.310 kHz - CBN
1.430 kHz - Caiari (Rede Católica de Rádio)
FM 88,5 MHz - Rádio Vitória Régia FM
93,3 MHz - Rádio Rondônia FM
94,1 MHz - Transamérica Hits 94,1
95,1 MHz - FM 95
96,9 MHz - Boas Novas FM (IPDA)
98,1 MHz - Parecis FM
103,7 MHz - Rádio Senado
104,5 MHz - Rede Aleluia FM
105,1 MHz - Transamazônica FM
105,9 MHz - Rádio Comunitária
106,1 MHz - Rio Madeira FM
107,9 MHz - Cultura FM

Jornais
Folha de Rondônia
Diário da Amazônia
Alto Madeira
O Estadão do Norte
  

   Referências   

a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.

  1. Capitais dos estados. Atlas Geográfico do Brasil. Página visitada em 1 de janeiro de 2011.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Urbanização das cidades brasileiras. Embrapa Monitoramento por Satélite. Página visitada em 30 de Julho de 2008.
  4. População dos Municípios 2012. IBGE 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2012). Página visitada em 17 de outubro de 2012.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  6. Indice GINI. Cidade Sat. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2000). Página visitada em 06 de agosto de 2011.
  7. a b c Produto Interno Bruto dos Municípios 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 12 de dezembro de 2012.
  8. Prefeitura Municipal de Porto Velho. A Origem do nome. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  9. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contas Regionais 2009. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  10. Prefeitura Municipal de Porto Velho. A Origem do nome. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  11. Prefeitura Municipal de Porto Velho. A queda do ciclo da borracha. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  12. Meteorologia e Clima (29 de agosto de 2010). Recordes de menores temperaturas registradas nas capitais. Página visitada em 15 de julho de 2012.
  13. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Rondônia. Página visitada em 15 de julho de 2012.
  14. Meteorologia e Clima (1º de setembro de 2010). Maiores chuvas em 24 horas nas capitais entre 1961-1990. Página visitada em 15 de julho de 2012.
  15. Prefeitura Municipal de Porto Velho. Aspectos Geográficos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  16. Rondônia ao Vivo. Sistema FIERO articula geminação das cidades irmãs Jinan e Porto Velho. Página visitada em 12 de abril de 2011.
  17. Prefeitura Municipal de Porto Velho. Aspectos Geográficos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  18. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PIB dos Municípios. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  19. Rede Globo. Memória Globo: Mad Maria. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  20. Governo de Rondônia. Turismo e Pontos Turisticos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  21. Ancar Ivanhoe. Porto Velho Shopping. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  22. Urban Systmns. Porto Madeira Shopping será 30% maior que Porto Velho Shopping, diz Baú. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  23. Revista Época. Ranking das cidades mais violentas. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  24. Rondônia ao Vivo. Banda do Vai Quem Quer reúne a imprensa pelo 31º ano. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  25. Rondônia ao Vivo. Agenda Cultural destaca abertura do Arraial Flor do Maracujá. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  26. Rondônia ao Vivo. Cavalgada da Expovel 2011 leva maior comitiva do país às ruas. Rondônia Ao Vivo. Página visitada em 17 de dezembro de 2011.
  27. Gente de Opnião. Festival da Costela Assada deve levar 15 mil ao parque de exposição neste domingo. Gente de Opnião. Página visitada em 17 de dezembro de 2011.
  28. Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime e Justiça Criminal. Projeto teatral "Bizarrus", de Rondônia, é modelo em processo de reabilitação de presos. Página visitada em 06 de julho de 2012.
  29. Tudo Rondônia. Jerusalém da Amazônia: “O Homem de Nazaré”. Página visitada em 06 de julho de 2012.


 

Fonte: wikipedia.org

Agnaldo 1580 - FISCALIZAÇÃO

26/09/2014

Agnaldo Nepomuceno - Porto Velho/Rondônia